ISSN (on-line): 2177-9465
ISSN (impressa): 1414-8145
Escola Anna Nery Revista de Enfermagem Escola Anna Nery Revista de Enfermagem
COPE
ABEC
BVS
CNPQ
FAPERJ
SCIELO
REDALYC
MCTI
Ministério da Educação
CAPES

Volume 2, Número 3, Set/Dez - 1998

O fac-símile "Era nova" foi publicado no "Annaes de Enfermagem", Rio de Janeiro, v.1, n.1, p5-6, maio de 1932.

O artigo original encontra-se à disposição do leitor na Biblioteca Setorial da Pós-Graduação da EEAN / UFRJ.

 

ERA A NOVA

Da velha India, atravez todos os pavos primitivos fonte cia nossa civilização, tambem desabrocharam as primeiras mau ifestações da enfermagem. Dos irraciounes recebemos nós os bellos exemplos do mais forte pelo mais fraco; dalles ainda os actos puramente intuitivos que deram aos homens a concepção da necessidade de se, ajudarem mutuamente. Dessa concepção desenvolvida pelo espirito de, observação tãò peculiar aos primitivos, ajs reheideram elles a grandeza , do "auxilio mutuo" - alma da enfermagem __ que pelos sécalos, vencendo obstáculos, baqueando par vezas, resurgió, por fim, triumphante, dominando o universo ampliado no espirito da "enfermeira moderna".

Desde as éporhus mais remotas encontramos prenuncios de enfermagem em todos os povos, se bem que manifestados sob aspectos e cocepcões differentes, desde as imaginações mais atravagantes até as mais lógicas e scienctificas conclusões.

Se volvermos os olhos para a tradicional India, encontraremos a velha Avô septuagenaria curando com beberagons ho-dieudas, rezas macabras, superstições e crendices, que segundo o rifo passavam de Avós a Mães e as filhas, sempre entregues ao sexo feminino, consideradas que eram quase sagradas.

Depois, a enfermagem se elevou aos templos onde era praticada sob forma mythologica, desde que aos deuses era dada a faculdade de fazer adoecer segundo a gravidade do pecado, pois a doença era a punição dos deuses pura os pobres mortaes.

Com a evolução, estas ideas foram desapparecendo, assim as superstições e crendices.

Aos Hebreus deve-se em grande parte a evolução, como ao espirito dos gregos, que abandonaram, as velhas e falsas concepções devido aos estudos de Hyppocrates e suas theorias marcadamente scientificas.

Os Romanos influenciados pelos Gregos também despegaram-se das velhas ideas e ó em Roma que se encontra, principalmente quando influenciada pedo Christianismo, a expansão da enfermagem representando o mais perfeito espirito de humanitarismo.

A's matronas romanas deve-se a introdução e expansão desse espirito em todo o occidente, tornando a enfermagem, a mais viva manifestação de altruismo feminino.

Com as Cruzadas maior vulto tomou esse desenvolvimentos formaram-se ordens militares destinadas á pratica da enfermagem.

Taes ordens muito contribuiram para que a aristocracia se interessasse por tão nobre profissão.

A influencia aristocrática trouxe coma consequência o desdobramento de novas ordens, de que ó reminicenciu o "Noblesse Oblige''.

Ser enfermeira era ser fidalga e a enfermagem era uma fidalguia.

O Christianismo, o Militarismo e a Aristocracia não lograram, porém, crear o typo ideal da enfermeira por faltar-lhes o essencial uma___ educação apropriada.

Como consequência, fechou-se um circulo dentro dos idea es religiosos, surgindo então fóra, um type muito longe do que deveria ser, o da enfermeira curandeira, inculta e inconsciente, que de casa em casa ia applicando tratamentos absurdos e quejandos processos.

Foi o periodo da decadencia de uma profissão que tão alto se linha elevada nos meios sociaes.

Dois typos de enfermeiras existiram: a enfermeira religiosa em geral nobre e sem preparo scientifico, mas guiada por grande idealismo religioso, considerando a enfermagem como um holocaustro e a mercenaria, ignorante, sem o menor espirito humanitario visando a parte material da profissão.

Surge, então Florence Nightingale, que reunia em sua pessoa, ideal humanitario, cultura intellectual bastea e posição social destacada na aristocracia inglesa.

Florence, deu as ¡deas erróneas, de então, que tinham a enfermagem come incompativel com a intelligencia a educação esmerada e o meio social.

Foi ella, com sim energia, que provou aos potentados qnm qinmto maior preparo melhor theoria hoje universalmente reconhecida e proclamado com a consagração dos technicos com todos os ramos das actividades da vida.

O oxemplo, partindo de tão ella conquistou a união publica e oinicio do nivelamenta da profissão se operou.

A edifiencia demonstrada por Florence e suas dedicadas dicipulas, venceu a inveiação e a desuello, conseguindo do goveerno británico permissão o auxilio para a fundação de escolas de enfernieiras como ssa grande realisadora sonhara: - nivel social e intelectual esperados.

A immortal Florence cabe a gloria da era nova da enfermagem: ás une seguiram-lhe as negadas até nós, continuando e consolidando obra tão complexa os louros, nurterem, sem desfallecímento, elevado a profissão ao grão supremo de aperfeiçoamento, concretizado na admissão do ensino da enfermagem em quasi todas as Universidades do mundo.

Izabel Humpum mais tarde pelo casamento. Miss Robb, Adelaide Nutting, Anna Goodrich Izabel Stewart e tantas outras americanas do norte, tenazes e infatigáveis irmãs de ideal, são nomes que toda a enfermeira moderna deve venerar e cultuar pelo que hão feito pela independencia da profissão e nivelamento delia ao ponto das demais ditas liberaes.

O espírito da enfermeira moderna e a concretisação dos exemplos e, principios entinados pelas grandes precursoras da era nova, mas infelizmente ainda mal conhecido tem certos meios sociaes da actualidade, parlicularmente entre nós onde perdura conceito marcadamente erróneo.

A mentalidade, da enfermeira de hoje, symbolisa a cultura feminina alliada ao amor ao proixmo e á Patria, dominado sempre, pela satisfação intima.

 enfermeira moderna é ao mesmo tempo psychologa, philosopha e sociologa, ora procurando conhecer e comprehonder seus doentes, para ensinar-lhes a supportar as adversidades e os soffrimentos pelo exemplo da sua propria mentalidade fortalecida pelo estudo do "imperio de, si proprio". ora ajudando-os em seus problemas sociaes (tanta vez causa de males physicus) com o levar-lhes conhecimentos aprehendidos no estudo da sociologia.

E' a companheira constante, dos infortunados.

E' a mãe desvelada, noite o dia á cabeceiro dos que lhe foram confiados na ausencia do medico, que tranquillo pode, entregarse aos seus afazeres.

E' a technica efficiente, cuja competencia se constituiu nos estudos e conhecimentos da sciencia.

E' a observadora perspicaz, a quem o medico, muita vez, deve o proprio brilho da victoria final.

E' a educadora dos lares, a aperfeiçoadora da raça, quando em seu nobre mister de visitar quotidianamnete as casas pobres que estão aos seus cuidados, ensina princípios de hygiene eugenia.

A enfermeira, a verdadeira enfermeira, deve preencher a enfermagem dos três eu do doente - o eu moral, o eu espiritual e o eu physico, objectivação do ideal profissional. Neste complexo de requisitos, que só uma enfermeira instruida e altamente cultivada pode realizar, está a "Era Nova" enfermagem de que será o arauto esta publicação, a primeira entre nós.

Intelligencia, sensibilidade, cultura, amor aos estudos, dedicação ao proximo, patriotismo, abnegação, ternos todos nós brasileiras. A obra está iniciada; a ella já pressurosas acorreram nossas irmãs do Norte. Em breve virão as do Sul e todas fortes, unidas, trabalharão para a consolidação da era nova da nossa profissão no Brasil.

© Copyright 2021 - Escola Anna Nery Revista de Enfermagem - Todos os Direitos Reservados
GN1