ISSN (on-line): 2177-9465
ISSN (impressa): 1414-8145
Escola Anna Nery Revista de Enfermagem Escola Anna Nery Revista de Enfermagem
COPE
ABEC
BVS
CNPQ
FAPERJ
SCIELO
REDALYC
MCTI
Ministério da Educação
CAPES

A pesquisa para o autor ou co-autor encontrou 18 resultados

A instalação do Comitê de Assessoramento da Enfermagem (CA-EF) no CNPq

Lorita Marlena Freitag Pagliuca

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2009; 13(3): 463 - 465

Download

 

Análise da adequação da teoria do relacionamento interpessoal em grupos conduzidos por enfermeira

Maria Adelane Alves MonteiroI;Lorita Marlena Freitag PagliucaII

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2008; 12(3): 424 - 429

Resumo Download

A Teoria do Relacionamento Interpessoal em Enfermagem (Peplau, 1993) descreve relações entre a enfermagem e o paciente. Neste estudo objetivou-se analisar a adequação desta teoria para aplicação em grupos conduzidos por enfermeira. Estudo analítico apoiado em modelo de análise de teorias de enfermagem. A metodologia constou da seleção de artigos disponíveis no MEDLINE com delimitação de tempo de 1996 a 2006, usando os descritores psicoterapia de grupo e teoria de enfermagem e a palavra-chave grupos. Apenas um artigo aplicou a teoria em discussão, e sua análise demonstrou que a relação enfermeira-cliente e as fases e papéis da Teoria do Relacionamento Interpessoal em Enfermagem são adequados a intervenções grupais.

Palavras-chave: Teoria de Enfermagem. Psicoterapia de Grupo. Enfermagem

 

Análise descritiva da teoria dos sistemas de enfermagem de OREM: aplicabilidade no ensino do auto-exame ocular dos portadores do HIV/AIDS

Joselany Áfio CaetanoI; Lorita Marlena Freitag PagliucaII

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2003; 7(1): 89 - 96

Download

 

Comunicação não verbal entre mãe e filho na vigência do hiv/aids à luz da tacêsica

Marli Teresinha Gimeniz Galvão; Ênia Costa; Ivana Cristina Vieira de Lima; Simone de Sousa Paiva; Paulo César de Almeida; Lorita Marlena Freitag Pagliuca

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2009; 13(4): 780 - 785

Resumo Download

Propôs-se analisar a comunicação não verbal entre mãe e filho na vigência do HIV/AIDS à luz da tacêsica (linguagem do toque) durante o desempenho dos cuidados maternos. Estudo exploratório desenvolvido em ambiente experimental em Fortaleza-CE no segundo semestre de 2007 com cinco díades mãe-bebê. Foram utilizados três recursos para a coleta de dados: questionário semiestruturado sobre a história de vida da mãe e da criança; filmagens de cuidados maternos (troca, banho, ninar, brincar e alimentar); e roteiro de análise das filmagens baseado na tacêsica. Identificaram-se 354 interações, cujas análises apontaram que o banho apresentou maior número de interações mãe e filho, havendo ainda prevalência entre os cuidados do toque de intensidade firme e o uso do toque instrumental. Conclui-se que as relações mãe-filho inseridas no universo do HIV devem ser continuamente debatidas com vistas à promoção de cuidado mais eficaz, e que os cuidados maternos são uma oportunidade para fortalecer os laços afetivos mediante o uso do toque, promovendo o desenvolvimento emocional e social satisfatório da criança.

Palavras-chave: Comunicação. HIV-1. Relações Mãe-filho

 

Comunicação não-verbal: aspectos observados durante a consulta de Enfermagem com o paciente cego

Cristiana Brasil de Almeida RebouçasI; Lorita Marlena Freitag PagliucaII; Paulo César de AlmeidaIII

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2007; 11(1): 38 - 43

Resumo Download

Estudo exploratório-descritivo sobre comunicação não-verbal entre o enfermeiro e o cego durante a consulta de enfermagem ao diabético, a partir do referencial teórico de Hall. Coleta de dados com filmagem da consulta, analisadas a cada quinze segundos, totalizando 1.131 momentos de comunicação não-verbal. A análise mostra distância íntima (91,0%) e postura sentada (98,3%); em 83,3% das interações não houve contato. Esteve presente o gesto emblemático de mover as mãos (67,4%); o olhar desviado do interlocutor, (52,8%) e o olhar centrado no interlocutor (44,4%). Em todas as filmagens, houve interferências consideráveis no momento da interação enfermeiro-paciente. Conclui-se, que o enfermeiro precisa conhecer e aprofundar os estudos em comunicação não-verbal e adequar o seu uso ao tipo de pacientes assistidos durante as consultas.

Palavras-chave: Comunicação Não-verbal. Enfermagem. Cegueira

 

Cuidados com a pele do recém-nascido: análise de conceito

Fernanda Cavalcante Fontenele1; Lorita Marlena Freitag Pagliuca2; Maria Vera Lúcia Moreira Leitão Cardoso3

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2012; 16(3): 480 - 485

Resumo Download

O foco do enfermeiro é o cuidado ao ser humano e, em neonatologia, o cuidar da pele do recém-nascido é prioridade. Objetivouse analisar o conceito de cuidado com a pele do recém-nascido. Referencial teórico metodológico utilizado: Modelo de Análise de Conceito de Rodgers, que permitiu analisar os antecedentes, atributos e consequentes do conceito estudado. Identificaram-se os antecedentes: prematuridade, risco de infecção, monitorização, fatores ambientais, alterações fisiológicas, antissépticos, assistência intensiva, procedimentos invasivos, lesão, exame físico e baixo peso. Atributos: contínuo, individualizado, dinâmico, eficaz, criterioso, delicado, humanizado, seguro, integral, prioridade, imediato e padronizado. Consequentes: previne lesões, mantém a pele íntegra, melhora a condição da pele, o quadro clínico e a circulação, controla as perdas de água, previne infecção e proporciona conforto.. Este método oferece um suporte na consolidação do conhecimento. O conceito analisado revelou importante associação com a prematuridade e risco de infecção, relacionando-se com as características ao longo do tempo.

Palavras-chave: Formação de conceito. Cuidados de enfermagem. Recém-nascido. Pele.

 

Deficiente visual: Avaliação de risco para acidente doméstico

Lorita Marlena Freitag Pagliuca1; Nágela Maria Costa2

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 1999; 3(2): 97 - 106

Resumo Download

A arquitetura e ambientação domésticas devem proporcionar conforto e segurança para as pessoas. Quando este princípio não é respeitado limita o ser humano, expondo-o a riscos de acidentes. As pessoas portadoras de deficiência visual necessitam de ambiente adequado às suas condições. Levando-se em conta estas necessidades especiais, foram determinados os itens considerados de risco para a segurança física destas pessoas, no seu domicílio, incluindo porta, piso, acesso aos ambientes e disposição de objetos. Frente a estes critérios, examinaram-se residências de pessoas deficientes visuais e analisaram-se seus comportamentos cotidianos. Das 30 residências examinadas, quatro foram categorizadas como de baixo risco, 25 em médio e uma em alto risco. Em relação ao comportamento constatou-se que seus usuários desconheciam os riscos a que estavam expostas essas pessoas e que as medidas de proteção eram ineficazes. Apresenta-se um instrumento para avaliação do ambiente e do comportamento domésticos de deficientes visuais para prevenção de acidentes domésticos.

Palavras-chave: Risco ambiental - Acidente doméstico - Deficiente visual.

 

Diagnóstico e intervenção de enfermagem em paciente cirúrgico: aplicação do modelo de Orlando

Jacqueline Borges Cavalcante1; Lorita Marlena Freitag Pagliuca2; Enedina Soares3

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 1998; 2(1): 78 - 92

Resumo Download

Trata-se de um estudo descritivo, com abordagem qualitativa, do tipo estudo de caso, tendo como sujeito um paciente em período preoperatorio, internado na clínica cirúrgica do Hospital Universitário Walter Cantídio da Universidade Federal do Ceará, no período de outubro a novembro de 1997, com o objetivo de identificar diagnósticos de enfermagem e propor intervenções tendo por base o processo de enfermagem de Orlando. Os diagnósticos encontrados foram: dor relacionada à lesão ulcerosa no olho esquerdo, ansiedade relacionada à ameaça/mudança no estado de saúde e necessidades não atendidas, medo de morrer relacionado à cirurgia programada, senso-percepção visual alterada à esquerda relacionada à lesão no órgão de recepção (olho esquerdo), potencial para infecção relacionado à lesão ulcerosa no olho esquerdo, integridade tissular prejudicada relacionada a fator mecânico (presença de massa tumoral no olho esquerdo) e déficit de conhecimentos relacionados à doença, cirurgia, prognóstico e motivos que determinaram as suspensões das cirurgias. As intervenções de enfermagem propostas foram: estimular a verbalização dos sentimentos, orientar quanto à doença, prognóstico e período pré-operatório, e informar sobre os motivos dos cancelamentos da cirurgia, solicitando a colaboração do cirurgião. Os resultados mostraram ser viável a utilização do diagnóstico de enfermagem e do modelo de Orlando, bem como, a importância da interação enfermeira-paciente na assistência prestada.

Palavras-chave: Diagnóstico de Enfermagem, Enfermagem Cirúrgica, Teoria de Enfermagem

 

Doutorado-sanduíche em enfermagem: relato de experiência

Rosane Arruda DantasI; Lorita Marlena Freitag PagliucaII; Antônio Luís Rodrigues Faria de CarvalhoIII; Wilson Correia de AbreuIV

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2009; 13(2): 425 - 430

Resumo Download

Relato de experiência acerca de estágio de doutorando-sanduíche realizado com bolsa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, durante o período de outubro de 2005 a janeiro de 2006, na Faculdade de Enfermagem de D. Ana Guedes, no Porto, em Portugal, instituição já visitada na graduação. Tive a oportunidade de replicar a metodologia de parte da dissertação com crianças portuguesas. Isso permitiu estudo comparativo entre duas culturas que guardam afinidades, mas têm características distintas. Além disso, ministrei aulas, participei de cursos e seminários e aprofundei os conhecimentos acerca da Teoria da Universalidade e Diversidade do Cuidado Cultural. Considero que esta experiência é um estímulo para a garantia da autonomia do enfermeiro na assistência de enfermagem, como pesquisador e docente, ampliando conhecimentos e os inserindo no processo de cuidado. Ademais, influencia positivamente no amadurecimento psicológico, cultural e social do doutorando.

Palavras-chave: Enfermagem. Cuidados de Enfermagem. Teoria de Enfermagem

 

Educação em saúde como fator de participação da enfermeira na construção da cidadania do surdo: reflexão crítica

Rosiléa Alves de SousaI; Lorita Marlena Freitag PagliucaII

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2002; 6(3): 489 - 497

Download

 

Incidência de problemas oculares em portadores do HIV/AIDS: uma manifestação na consulta de enfermagem

Joselany Afio CaetanoI; Lorita Marlena Freitag PagliucaII; Enedina SoaresIII

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2000; 4(1): 83 - 93

Download

 

Literatura de cordel como meio de promoção para o aleitamento materno

Paula Marciana Pinheiro OliveiraI; Cristiana Brasil de Almeida RebouçasII; Lorita Marlena Freitag PagliucaIII

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2008; 12(2): 217 - 223

Resumo Download

A poesia popular impressa, também denominada literatura de cordel, é considerada pelo povo nordestino importante expressão cultural. Folhetos sobre a amamentação são pertinentes na medida em que podem contribuir para a educação da população sobre este assunto. Objetivou-se: analisar mensagens transmitidas e linguagem adotada nos folhetos que abordem o tema da amamentação. Estudo documental, descritivo, exploratório, de caráter analítico, realizado mediante a busca sistemática de folhetos de cordel disponíveis em praças públicas de Fortaleza-CE. Foram coletados 34 folhetos. Destes, 20 abordaram temas de saúde e um retratou a amamentação. A análise deste cordel revelou que a amamentação é necessária tanto à mãe como ao bebê, trazendo benefícios mútuos. Portanto, este recurso impresso deve ser visto como significativo material de educação em saúde que o profissional pode utilizar com nutrizes.

Palavras-chave: Literatura. Promoção em Saúde. Aleitamento Materno

 

Mapeamento da acessibilidade do portador de limitação física a Serviços Básicos de Saúde

Luciana Rodrigues VasconcelosI; Lorita Marlena Freitag PagliucaII

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2006; 10(3): 494 - 500

Resumo Download

Reconhecendo os direitos dos portadores de limitação física no quesito acessibilidade, objetiva-se mapear as barreiras arquitetônicas de acesso aos serviços básicos de saúde. Estudo exploratório-descritivo, com amostra intencional de 12 unidades em município de médio porte. Coleta de dados por formulário tipo cheque-lista. Foi observado que a arquitetura externa dificulta ou impossibilita o acesso, pois as calçadas contêm obstáculos, ausência de rebaixamento de meio-fio, sinalização em pontos estratégicos e de estacionamento demarcado. Em contrapartida, a maioria das unidades possui rampas de acesso com corrimão e corredores com largura adequada. Balcões, mesas, assentos, telefones, bebedouros estão predominantemente a uma altura superior à preconizada, e os banheiros não oferecem espaço suficiente para transposição de cadeira de rodas; nestes não há barras horizontais, e a maioria das peças sanitárias está a uma altura inadequada. Tais barreiras são obstáculos para o usufruto, por parte dos portadores de limitação física, dos equipamentos de saúde disponibilizados à sociedade.

Palavras-chave: Estruturas de acesso. Pessoas Portadoras de Deficiência. Acesso aos Serviços de Saúde. Política de Saúde

 

Modelo de enfermagem baseado nas atividades de vida diária: adolescente diabética e deficiente visual

Camilla Pontes Bezerra; Lorita Marlena Freitag Pagliuca; Marli Teresinha Gimeniz Galvão

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2009; 13(4): 842 - 848

Resumo Download

O diabetes mellitus, doença crônico-degenerativa, pode comprometer a retina. Objetivou-se analisar a eficácia do cuidado de enfermagem fundamentado no Modelo de Enfermagem Baseado nas Atividades da Vida Diária a uma adolescente com deficiência visual decorrente do diabetes mellitus tipo I, utilizando o estudo de caso. Os dados foram coletados em setembro 2006 por entrevistas no domicílio. Os resultados mostram ambiente doméstico inseguro devido a iluminação inadequada, nutrição alterada e déficit de conhecimento relacionado ao controle glicêmico, pressão arterial, sedentarismo e sexualidade. O Modelo foi válido, pois permitiu e promoveu o cuidado e comunicação objetiva entre pesquisadoras e a adolescente que apresentou boa apreensão, mostrou-se segura e autoconfiante, repercutindo em aumento da autoestima e desempenho de atividades de forma mais independente.

Palavras-chave: Diabetes Mellitus. Adolescente. Portadores de Deficiência Visual. Enfermagem

 

Repercussão de políticas públicas inclusivas segundo análise das pessoas com deficiência

Lorita Marlena Freitag Pagliuca, Monaliza Ribeiro Mariano, Paula Marciana Pinheiro de Oliveira, Mariana Gonçalves de Oliveira, Inacia Satiro Xavier de França, Paulo Cesar de Almeida

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2015; 19(3): 498 - 504

Download

 

Saberes e práxis em enfermagem

Eucléa Gomes Vale; Lorita Marlena Freitag Pagliuca; Régio Hermilton Ribeiro Quirino

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2009; 13(1): 174 - 180

Resumo Download

O estudo tem como objetivo refletir acerca dos saberes e práxis em Enfermagem pelo diálogo com alguns autores sobre o conhecimento, pelo relato da transformação do conhecimento através da história, bem como enfocar a práxis por meio do raciocínio filosófico. A reflexão envolve as várias dimensões do cuidado. Concluímos que a práxis em Enfermagem se constrói libertadora, solidária, emancipatória por se fundamentar no entrelaçamento de saberes e fazeres de um cuidado que converge em ciência, ética, arte e estética.

Palavras-chave: Enfermagem. Conhecimento. Prática Profissional. Cuidados de Enfermagem

 

Tecnologia assistiva em saúde para cegos: enfoque na prevenção de drogas

Kariane Gomes Cezario I; Lorita Marlena Freitag PagliucaII

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2007; 11(4): 677 - 681

Resumo Download

Diante da nocividade das drogas aos indivíduos e da vulnerabilidade dos cegos a elas, em virtude de condições favoráveis, objetivou-se desenvolver e avaliar Tecnologia Assistiva em Saúde, acessível a esta clientela. Estudo de desenvolvimento e avaliação de Tecnologia Assistiva em Saúde, sobre a prevenção ao uso de drogas entre cegos, realizado em uma associação de cegos, em Fortaleza, em abril de 2007. Participaram cinco homens, que apreciaram o recurso tecnológico constituído do texto educativo Drogas: Reflexão para prevenção, utilizado em programa de computador de síntese de voz (Dosvox). Seu conteúdo abordou os principais tipos de drogas, efeitos físicos, psicológicos e sociais, além de meios de prevenção. Fez-se avaliação por meio de depoimentos. A Tecnologia Assistiva foi considerada informativa, satisfatória e alcançou o objetivo proposto. Neste tipo de recurso, a educação em saúde foi vista como válida.

Palavras-chave: Drogas Ilícitas. Tecnologia. Educação em Saúde. Portadores de Deficiência Visual

 

Uso do filme como estratégia de ensino-aprendizagem sobre pessoas com deficiência: percepção de alunos de enfermagem

Paula Marciana Pinheiro de Oliveira1; Monaliza Ribeiro Mariano2; Cristiana Brasil de Almeida Rebouças3; Lorita Marlena Freitag Pagliuca4

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2012; 16(2): 297 - 305

Resumo Download

O objetivo deste estudo foi elaborar uma estratégia de ensino-aprendizagem sobre pessoas com deficiência sensorial e registrar a percepção dos alunos de graduação em enfermagem acerca da utilização de filmes como parte da estratégia do processo ensino-aprendizagem sobre pessoas com deficiência sensorial visual, auditiva e de fala. Estudo descritivo, exploratório, qualitativo, desenvolvido no Laboratório de Comunicação em Saúde, do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal do Ceará, no período de 2010.1. O primeiro tema tratado foi a deficiência visual, seguida da auditiva e da fala. A associação do uso de filmes a conteúdos teóricos e leitura de textos sobre determinado tema foi considerada experiência prazerosa pelos alunos, motivando o aprendizado. A introdução de filmes representa uma oportunidade para rever e sofisticar a abordagem pedagógica e os conteúdos ministrados pelo professor.

Palavras-chave: Educação em Enfermagem. Pessoas com deficiência. Enfermagem.

 

 

© Copyright 2021 - Escola Anna Nery Revista de Enfermagem - Todos os Direitos Reservados
GN1