ISSN (on-line): 2177-9465
ISSN (impressa): 1414-8145
Escola Anna Nery Revista de Enfermagem Escola Anna Nery Revista de Enfermagem
COPE
ABEC
BVS
CNPQ
FAPERJ
SCIELO
REDALYC
MCTI
Ministério da Educação
CAPES

A pesquisa para o autor ou co-autor encontrou 7 resultados

A exclusão de alunas de enfermagem da Escola Anna Nery (1930-1938)1

Lorena Raeli Ligeiro1; Suely de Souza Baptista2

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 1999; 3(1): 24 - 42

Resumo Download

RESUMO

Esta pesquisa tem como objetivo discutir as circunstâncias que favoreceram a exclusão de alunas da Escola de Enfermagem Anna Nery (EEAN) no período 1930-1938. O estudo, de cunho histórico-social, quanti-qualitativo, possui fontes primárias advindas do acervo do Centro de Documentação da EEAN/UFRJ: dossiês de 150 alunas excluídas; relatórios anuais das diretoras; prospectos de divulgação e estatuto da escola. São fontes secundárias: bibliografias referentes à história da enfermagem, educação e condição feminina na sociedade brasileira. Evidenciou-se que a maioria das alunas excluídas, ao ingressarem na Escola, se deparavam com o rigor da disciplina, cujo propósito era o de reverter a desfavorável condição de inserção da profissão na sociedade; e com a extensa carga horária de serviços diários. Assim, muitas alunas interromperam o curso, por vontade própria ou porque eram convidadas a pedir demissão da Escola. Dentre as causas da exclusão destacam-se: doença, motivos pessoais e incapacidade profissional.

Palavras-chave: História da enfermagem - Educação em enfermagem - Estudante de enfermagem

 

A pesquisa e a documentação na história da enfermagem no Brasil

Ieda de Alencar Barreira1; Suely de Souza Baptista2

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2000; 4(3): 395 - 403

Resumo Download

O propósito do trabalho é discutir as possibilidades e limitações do desenvolvimento de linhas de pesquisa, que favoreçam a construção de versões e interpretações originais da história da enfermagem de âmbito nacional e de estudos comparados internacionais. São analisadas as conseqüências teóricas e práticas da localização da enfermagem moderna na história contemporânea ou na história do tempo presente, bem como no contexto da América Latina. Tomando-se a organização de arquivos como condição para a realização de estudos históricos, são citados exemplos de acervos no que se refere à História da Enfermagem Brasileira e é enfatizada a importância da recuperação e preservação de fontes (escritas, orais e iconográficas), tanto dos arquivos históricos como dos "arquivos futuros ". Finalmente, discutem-se as relações internas e externas da história da enfermagem, como campo de conhecimento, e suas implicações para a visibilidade e o reconhecimento de sua contribuição com um novo olhar sobre nossa trajetória e o cotidiano presente.

Palavras-chave: História da Enfermagem - Pesquisa em Enfermagem - Documentação

 

A trajetória da residência de Enfermagem no Brasil1

Gertrudes Teixeira Lopes1; Suely de Souza Baptista2

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 1999; 3(1): 58 - 71

Resumo Download

O trabalho apresenta uma breve retrospectiva da história da Residência de Enfermagem no Brasil, de sua criação em 1961 aos dias atuais. Por isso, este estudo descreve a trajetória da Residência no país e sua relação com os momentos político-econômico-sociais, nos quais ocorreram as mudanças mais significativas e seus reflexos para o desenvolvimento dos Programas.

Palavras-chave: História da Enfermagem - Residência de Enfermagem.

 

A trajetória das áreas de conhecimento de um departamento de Enfermagem

Neide Aparecida Titonelli Alvim1; Suely de Souza Baptista2; Ieda de Alencar Barreira3; Antonio José de Almeida Filho4

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 1999; 3(2): 34 - 39

Resumo Download

Este trabalho tem como objetivo descrever a trajetória das áreas de conhecimento do Departamento de Enfermagem Fundamental (DEF) da Escola de Enfermagem Anna Nery (EEAN) da UFRJ, no período de 1971 até os dias atuais, destacando a evolução das disciplinas do DEF, neste período. Na década de 90, a EEAN experienciou um grande investimento na qualificação do seu corpo docente, refletindo positivamente nos rumos das produções científicas do DEF. Ultimamente, tendo-se percebido certa divergência entre as áreas de domínio deste Departamento, a orientação teórica de cada professor e sua inserção no ensino de graduação e/ou de pós-graduação, realizou-se um seminário, o qual possibilitou visualizar como as áreas ou setores de conhecimento estão organizados. Os resultados deste seminário apontaram para a necessidade de refletir quanto às possíveis alternativas para uma reinserção do Departamento no Curso de Graduação da EEAN, e ainda, para melhor adequar as atividades docentes e de pesquisa.

Palavras-chave: Áreas de conhecimento - Departamento - Enfermagem

 

Alunas Religiosas na Escola de Enfermagem Anna Nery nas décadas de 20 a 401

Carmen Luisa dos Santos Teixeira1; Suely de Souza Baptista2; Rosa Maria N. T. Cavalcanti3; Jussara Sauthier4

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 1998; 2(1): 49 - 65

Resumo Download

Este estudo, inserido na linha de pesquisa Escolas de Enfermagem na Sociedade Brasileira, tem como objetivo discutir as relações entre o ingresso e a evasão de freiras na EEAN nas gestões de enfermeiras norte-americanas e brasileiras na direção dessa Escola. O recorte temporal compreende o período 1923-1942. A metodologia utilizada foi a qualitativa. As fontes primárias incluíram documentos do Centro de Documentação da EEAN, como: dossiês de alunas e diretoras; e as secundárias, bibliografias referentes à história da enfermagem é ao contexto sócio-histórico da época. Os achados demonstraram que de 1923 a 1931, a Escola não contou com Religiosas em seu quadro de alunas; as três primeiras freiras ingressaram no Curso na gestão da primeira diretora brasileira (1931-1933), mas não chegaram a se diplomar; na segunda gestão de Bertha Pullen, enfermeira norte-americana (1934-1938), não houve ingresso de Religiosas na Escola; em 1939, na gestão da segunda diretora brasileira, ingressaram dez freiras que se formaram em 1942. Os resultados evidenciaram que apesar dessas freiras declararem ser a profissão sublime, nobre e bela, dando-lhes a possibilidade de praticar a caridade, confortando e aliviando os sofrimentos físicos e morais e apesar de recebido tratamento especial, o cotidiano de uma escola de enfermagem, leiga ou não, atraiu ou não favoreceu a permanência de Religiosas no Curso. Além disso, levanta-se a questão da possível interferência da religião protestante professada pelas enfermeiras norte-americanas, na disposição dessas Religiosas católicas freqüentarem a Escola.

Palavras-chave: Enfermagem. História da Enfermagem

 

O perfil das(os) alunas(os) de enfermagem da Escola Anna Nery: décadas de 20, 30 e 901

Simone dos Santos Menezes1; Suely de Souza Baptista2; Ieda de Alencar Barreira3

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 1998; 2(1): 34 - 48

Resumo Download

Este estudo objetiva contrastar as modificações ocorridas nos critérios de seleção e no perfil do aluno ao ingressar na Escola de Enfermeiras do DNSP - Departamento Nacional de Saúde Pública (décadas 20 e 30) e na atual EEAN - Escola de Enfermagem Anna Nery. Obtivemos dados das fontes primárias provenientes do Centro de Documentação/EEAN e do questionário aplicado aos atuais alunos da Escola. Analisamos à luz da literatura sobre o tema. Os achados revelaram que inicialmente os critérios adotados para seleção das candidatas eram: ser mulher, solteira, separada legalmente do marido ou viúva; ter de 20 a 35 anos e boas referências pessoais; não apresentar defeitos físicos; ter cursado escola normal ou estudos equivalentes. A opção pela enfermagem baseava-se na religiosidade, vocação, patriotismo, desejo de servir, trabalhar para os ideais da eugenia e, em menor proporção, na independência econômica. O ponto de ruptura deste perfil ocorreu com a extinção desses critérios pela Reforma Universitária de 68. A partir de 1971, a Escola recebeu alunos de ambos os sexos, independente de estado civil e idade, classificados pelo vestibular. Atualmente, a opção pela enfermagem deve-se à inclinação pela área da saúde e à relativa facilidade de passar no vestibular. Quase dois terços tentaram anteriormente a medicina, optando depois pela enfermagem como escolha mais acertada, de acordo com suas possibilidades mais imediatas.

Palavras-chave: History of nursing, Nursing students, Nursing school.

 

O Sindicalismo e a Enfermagem: a fundação do Sindicato dos Enfermeiros do Rio de Janeiro e a atuação de sua primeira diretoria

Maria da Luz Barbosa Gomes1; Suely de Souza Baptista2

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 1998; 2(3): 55 - 71

Resumo Download

Este trabalho, de cunho histórico-social, discute as diretrizes políticas que orientaram as ações dos membros da primeira diretoria do Sindicato dos Enfermeiros do Rio de Janeiro (SERJ) no período 1978-1981. Ao recorte temporal corresponde o período de reorganização e início da expansão do sindicalismo como força política inserida na conjuntura de "abertura" do regime militar, implantado no Brasil em 1964. Para dar conta da pesquisa traçamos os seguintes objetivos: discutir analisar a trajetória do movimento sindical dos enfermeiros no bojo do movimento sindical brasileiro e discutir a atuação da diretoria do SERJ no cenário político sindical. A categoria analítica Sindicato é a base de discussão dos resultados, a qual é respaldada por autores tais como : Ricardo Antunes e Armando Boito. Os sujeitos da pesquisa são as enfermeiras que integraram a primeira diretoria do SERJ, e as fontes primarias de dados são : documentos pertencentes aos arquivos do SERJ e depoimentos dos sujeitos do estudo, os quais foram tomados na perspectiva da História Oral. Os resultados apontam contradições principalmente no que se refere à tríade; visão de mundo/atuação político-sindical do SERJI/contexto sócio-histórico da época.

Palavras-chave: Enfermagem - História da Enfermagem - Sindicalismo.

 

 

© Copyright 2023 - Escola Anna Nery Revista de Enfermagem - Todos os Direitos Reservados
GN1