ISSN (on-line): 2177-9465
ISSN (impressa): 1414-8145
Escola Anna Nery Revista de Enfermagem Escola Anna Nery Revista de Enfermagem
COPE
ABEC
BVS
CNPQ
FAPERJ
SCIELO
REDALYC
MCTI
Ministério da Educação
CAPES

Resultado da Busca - Total: 7

A negociação do cuidado de enfermagem obstétrica através das práticas educativas na casa de parto

Jane Márcia Progianti; Rafael Ferreira da Costa

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2008; 12(4): 790 - 793

Resumo Download

O estudo reflete sobre o cuidado de enfermagem obstétrica desenvolvido na Casa de Parto David Capistrano Filho. Esta reflexão, utilizando-se do conceito de negociação da teoria do Cuidado Cultural e do conceito de Educação em Saúde, respondeu por que neste espaço, construído para o desenvolvimento de ações sob a visão do modelo humanizado, as enfermeiras obstétricas se apóiam nas práticas de educação em saúde. Concluiu-se que a educação em saúde é instrumento do cuidado cultural, e as enfermeiras, ao utilizarem as práticas educativas, estão negociando o cuidado humanizado com a mulher que está socialmente habituada com as concepções do modelo tecnocrático. Deste modo, sem invasões e imposições, colaboram com a fisiologia da gestação e do parto porque evitam o choque cultural e reestruturam o cuidado cultural medicalizado no campo obstétrico por mudar a maneira medicalizada da mulher de parir.

Palavras-chave: Cuidados de Enfermagem. Cultura. Educação em Saúde. Enfermagem Obstétrica. Saúde da Mulher

 

A percepção da equipe de enfermagem sobre humanização do parto e nascimento

Flavia Carvalho MarqueI; Ieda Maria Vargas DiasII; Leila AzevedoIII

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2006; 10(3): 439 - 447

Resumo Download

Este trabalho se trata de uma pesquisa qualitativa de abordagem descritiva, que discute a percepção da equipe de enfermagem sobre a humanização do parto e nascimento. Participaram como depoentes do estudo profissionais da área de enfermagem que atuam em sala de parto de duas instituições públicas da cidade do Rio de Janeiro. A análise dos dados construída a partir dos depoimentos das participantes do estudo originou a construção das seguintes categorias: humanização no entendimento da equipe de enfermagem; práticas que a equipe de enfermagem considera humanizadoras; práticas que a equipe de enfermagem considera desumanizadoras; e a Enfermagem diante do tema humanização. Nas considerações finais, ficou evidenciada a diferença perceptiva das depoentes e a necessidade de mudança de atitude e postura dos profissionais de enfermagem diante da assistência ao parto e nascimento, reconhecendo sua importância como membro da equipe de saúde na assistência à mulher e ao neonato.

Palavras-chave: Enfermagem. Humanização da Assistência. Parto Humanizado. Nascimento a Termo

 

A vivência de mulheres no parto domiciliar e hospitalar

Cilene Delgado CrizóstomoI; Inez Sampaio NeryII; Maria Helena Barros LuzIII

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2007; 11(1): 98 - 104

Resumo Download

Estudo com abordagem qualitativa, objetivando compreender na vivência das mulheres a experiência do parto normal domiciliar e hospitalar bem como discutir a vivência das mulheres nos dois tipos de partos. Os sujeitos do estudo foram sete mulheres multíparas residentes em Batalha PI, e o instrumento utilizado foi um roteiro semi-estruturado com a técnica da entrevista. Os resultados revelaram que os partos domiciliares vivenciados pelas mulheres aconteceram mais rápido, de forma natural, sem intervenções e assistidos por parteiras ou por suas mães. As posições de preferência durante o parto domiciliar foram na rede e no assento, e os partos hospitalares foram laboriosos, complicados e com intervenções traumáticas. A melhor posição e o melhor local do parto escolhidos pelas entrevistadas foram na rede e o domicílio, respectivamente. Conclui-se que o parto domiciliar foi natural e humanizado, já o parto normal hospitalar foi conduzido pelos profissionais com intervenções sem a participação ativa das parturientes, tornando-o traumático, desumano e de risco.

Palavras-chave: Mulheres. Parto Domiciliar. Parto Humanizado

 

Assistência pré-natal: competências essenciais desempenhadas por enfermeiros

Margarida de Aquino CunhaI; Marli Villela MamedeII; Leila Maria Geromel DottoIII; Fabiana Villela MamedeIV

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2009; 13(1): 145 - 153

Resumo Download

Pesquisa com objetivo de analisar as competências essenciais desenvolvidas, na prática, pelos enfermeiros que atuam na atenção ao pré-natal. Trata-se de estudo descritivo com abordagem quantitativa, realizado em 16 unidades da rede básica de saúde do município de Rio Branco-AC. A coleta de dados foi realizada por meio de observação sistemática e não participante. Dos enfermeiros que realizam a consulta pré-natal, apenas dois (11,76%) cursaram especialização em obstetrícia. Constatamos que a grande maioria das competências essenciais esperadas na assistência pré-natal foi desenvolvida; entretanto, algumas foram realizadas com baixa frequência, ou seja, não foram realizadas em todas as consultas. Os resultados revelaram que, apesar do bom desempenho dos enfermeiros, é pertinente avaliar a necessidade de esclarecimentos sobre a importância da incorporação de protocolos assistenciais para a melhoria da qualidade dos serviços, a fim de alcançar um nível ótimo de competência na atenção pré-natal.

Palavras-chave: Cuidado Pré-natal. Enfermagem Obstétrica. Saúde da Mulher. Competência Profissional

 

O processo de parir assistido pela enfermeira obstétrica no contexto hospitalar: significados para as parturientes

Eliz Cristine Maurer Caus; Evanguelia Kotzias Atherino dos Santos; Anair Andréia Nassif; Marisa Monticelli

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2012; 16(1): 34 - 40

Resumo Download

Pesquisa convergente-assistencial, que objetivou compreender o significado que a parturiente atribui ao processo de parir assistido pela enfermeira, à luz da Teoria Humanística, e identificar as contribuições deste processo para promover o cuidado humanístico. Os dados foram coletados em uma maternidade pública de Santa Catarina, com nove parturientes, sendo obtidos por intermédio do diálogo vivido, durante a aplicação do processo da Enfermagem Fenomenológica. A análise seguiu etapas de apreensão, síntese, teorização e transferência, de onde emergiu a categoria central: o ser-parturiente reconhece na enfermeira obstétrica uma cuidadora diferenciada, evidenciando que sua atuação significa respeito à feminilidade, delicadeza, liberdade de expressão, aprendizagem, presença que dá segurança e ânimo nas horas mais temidas. A dor é fortemente referida, seguida da satisfação pelo nascimento saudável. Conclui-se que a parturiente assistida pela enfermeira obstétrica percebe um canal intersubjetivo aberto para o encontro, proporcionando-lhe mecanismos de chamados-respostas indispensáveis ao cuidado de si e do recém-nascido.

Palavras-chave: Enfermagem obstétrica. Parto humanizado. Parto normal

 

Reflexões sobre deambulação e posição materna no trabalho de parto e parto

Fabiana Villela MamedeI; Marli Villela MamedeII; Leila Maria Geromel DottoIII

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2007; 11(2): 331 - 336

Resumo Download

Este artigo apresenta uma reflexão sobre os fatores determinantes que levaram à mudança da posição da mulher de vertical para horizontal no processo de parturição. A institucionalização do processo de parir e nascer promoveu uma série de mudanças no assistir à mulher e à família. Muitas das práticas que preservavam o respeito à autonomia e aos valores culturais deram lugar a outros que valorizam a tecnologia, a medicalização e a intervenção. Tais mudanças não efetivaram significativa redução na mortalidade materna e neonatal, pelo contrário, promoveram a desumanização da assistência. Um novo olhar sobre o efeito da deambulação e da posição durante o trabalho de parto e parto está sendo incentivado e está dando oportunidade de evidenciar uma série de vantagens e benefícios para mãe e filho.

Palavras-chave: Trabalho de parto. Parto Obstétrico. Parto Humanizado. Medicina baseada em evidência

 

Tecnologias não invasivas de cuidado no parto realizadas por enfermeiras: a percepção de mulheres

Natália Magalhães do Nascimento; Jane Márcia Progianti; Rachelli Iozzi Novoa; Thalita Rocha de Oliveira; Octávio Muniz da Costa Vargens

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010; 14(3): 456 - 461

Resumo Download

A pesquisa de natureza qualitativa, tipo descritiva, teve como objetivo identificar as atitudes e práticas de enfermeiras obstétricas e discutir seus efeitos durante o trabalho de parto na percepção de mulheres, atendidas em uma casa de parto. Fizeram parte do estudo 12 mulheres, tendo como instrumento de coleta de dados uma entrevista semiestruturada. A análise dos dados evidenciou que as mulheres reconheceram a atitude carinhosa e práticas como a livre movimentação corporal e o estímulo à presença de um acompanhante como as principais tecnologias não invasivas utilizadas durante o trabalho de parto. Quanto aos seus efeitos, as mulheres perceberam que as tecnologias favoreceram seus potenciais internos para tomada de decisões e identificaram as atitudes e práticas das enfermeiras como decisivas para que não desanimassem durante o parto. A postura e o uso pelas enfermeiras de tecnologias não invasivas contribuem para uma melhor percepção das mulheres sobre o seu processo de parto.

Palavras-chave: Enfermagem Obstétrica. Humanização do Parto. Parto Normal

 

 

© Copyright 2021 - Escola Anna Nery Revista de Enfermagem - Todos os Direitos Reservados
GN1